dinheiro-politico-roubo-corrupcao-caixa-28

 O FALSO DEFENSOR DA ‘LIVRE-CONCORRÊNCIA’ E A TURBULÊNCIA DAS PROPINAS E GASTOS DO DINHEIRO PÚBLICO

Durante os últimos meses as denúncias contra os mafiosos que fazem politicagem e tentam de toda maneira esbravejar como cães raivosos, para interferir nas relações comerciais do mercado de transporte, especialmente em Pernambuco, descortinaram cenas como as dos protestos conduzidos por falsos cegonheiros como Milton Freitas e Heracles Marconi, o advogado cegonheiro (pego na Operação Midas, do Ministério Público por lavagem de dinheiro, tráfico de drogas, e interceptação de carga, entre outros crimes).

Agora mais uma figura de destaque a ser olhada sob o raios-X da Justiça, e porque não da população, diante dos seus gastos exorbitantes. Dando nome aos bois estamos falando do líder do PHS, na Câmara dos Deputados: Deputado Pastor Eurico.

2
Dep. Pastor Eurico com Heracles Marconi a sua Direita. Extraído de RedeSocial/ Conteúdo Público

PERNAMBUCO PARA OS PERNAMBUCANOS! MAS, SÓ PARA OS OUTROS?

O parlamentar conhecido por gralhar em plenário com a desculpa de “defender o emprego em Pernambuco, para os pernambucanos”, na tentativa de causar a quebra da parceria logística entre a fábrica da Jeep instalada em Pernambuco, e a SADA, parceira logística da montadora, com sede em Minas Gerais, ironicamente, também está “empregado” como Deputado Federal por Pernambuco, no entanto, é paulista.

Seguindo o raciocínio do deputado, o mesmo deveria dar exemplo e não usurpar uma vaga no parlamento, que deveria estar sendo ocupada por um Pernambucano, ora essa. Eles dizem “se a SADA quiser que trabalhe em Minas Gerais”, então , seja exemplo, Deputado Pastor Eurico, e se quiser ser Deputado Federal o faça por  São Paulo, mas deixo as vagas do Congresso que pertencem a Pernambuco para os Pernambucanos. Observando deste ângulo, talvez o parlamentar perceba o tamanho do absurdo que tem falado repetidamente, ao acusar falsamente de cartel sindicatos, inclusive os de São Paulo.

3

A prática de “dois pesos e duas medidas” mostra-se um habito do deputado Pr. Eurico. Afinal, as empresas envolvidas na máfia que afronta o livre mercado, as quais ele defende com veemência, com a desculpa de estar lutando pela causa dos cegonheiros, também são parceiras logísticas de montadoras, em estados diferentes de onde estão sediadas. Algumas destas “parcerias” inclusive estabelecidas após pressão dos sindicatos de gaveta que operam juntamente, com o esquema. Por que ele não apoiou os cegonheiros dos outros estados? Porque não foi “defender” o emprego deles também quando as empresas parceiras garantem contratos em outras regiões?

O Deputado Pastor Eurico não defende na realidade nem Pernambucanos, nem Paulistas. Defende apenas o retrocesso de querer limitar o Brasil, e impedir que os estados desenvolvam parcerias comerciais, com empresas de outros estados, esquecendo, que na realidade somos todos brasileiros.

E o Brasil, é gigantesco e as parcerias entre estados diferentes são benéficas e mantém a economia circulando. O direito de uma empresa em escolher seus parceiros para auxiliar o seu negócio é sagrado, e respeitá-lo é defender a livre concorrência, de fato.

ENTÃO PARA O DEPUTADO PR. EURICO: OS CEGONHEIROS PERNAMBUCANOS QUE TRABALHAM EM OUTROS ESTADOS, COMO POR EXEMPLO, RJ, SP, CE, MG, RS, GO DENTRE TANTOS OUTROS, FAZEM PARTE DE UM CARTEL? SÃO BANDIDOS?

Com que intuito na verdade, o deputado Pr. Eurico segue causando  transtornos para trabalhadores honestos? Atender os interesses dos mafiosos, e empresas poderosas que operam esse esquema de denúncias falsas e protestos feitos na base da enganação dos caminhoneiros, usando os como massa de manobra na tentativa desonesta de quem apenas quer abocanhar contratos milionários do transporte de cargas?

Mas, o que esperar de quem foi denunciado por envolvimento em um dos esquemas de propina, corrupção e lavagem de dinheiro?

A TURBULÊNCIA DAS PROPINAS E DOS GASTOS

A Operação Turbulência, deflagrada em 2016, que investigava um forte esquema de lavagem de dinheiro e propinas, chegou até os políticos atuantes por Pernambuco. Dentre estas figuras lá estava, o deputado paulista, Pr. Eurico. Segundo informou a revista VEJA:

“o deputado pastor Eurico (PHS), que recebeu um cheque de 5.000 reais do Posto Pais & Filhos na campanha de 2010, quando ainda era filiado ao PSB. Esse posto recebeu, em 2014, 900.000 reais da Câmara & Vasconcelos, uma empresa de fachada que levou 18,8 milhões de reais da OAS e ajudou a quitar o jatinho que caiu matando Eduardo Campos, em agosto de 2014.”

Ou seja, o que pareciam meros cinco mil reais de propina, eram na verdade o fio da meada de um esquema de milhões! Que contava com o envolvimento da construtora OAS, investigada por lavagem de dinheiro e distribuição de propinas, conforme demonstraram as investigações da Operação Lava Jato.

Pol%25C3%25ADcia-Federal-deflagra-Opera%25C3%25A7%25C3%25A3o-Turbul%25C3%25AAncia
Agentes da PF levando documentos para investigação na Operação Turbulência

A Operação Turbulência foi veementemente atacada, por manobras dos políticos corruptos e dos envolvidos com as propinas. Inclusive, uma das testemunhas, Paulo César de Barros Morato, de 47 anos, foi encontrado morto ,em um motel em Olinda, Pernambuco.

paulo-morato-motel-reprod-1280x720
Paulo Morato, operador do esquema encontrado morto em um motel. Fonte: IstoÉ

As causas da morte de Paulo foram obscurecidas e supostamente o operador do esquema, teria se suicidado. Por causa disso, vários dos processos contra os investigados foram arquivados, deixando ares que para os políticos corruptos que atuam em Pernambuco, tudo iria acabar em Pizza.

Importante relembrar que Paulo Morato era um dos ‘testas’ de ferro de uma organização criminosa especializada em lavagem de dinheiro que foi alvo da Polícia Federal, na Operação Turbulência. O esquema de propinas operado por Morato em favorecimento de políticos e das empresas envolvidas chegou à expressiva cifra de 600 milhões de reais! Os indícios encontrados pela Polícia Federal demonstram que o esquema foi usado por políticos para financiar as campanhas.

O Deputado Pastor Eurico e os outros apontados por receberem propinas, na Operação Turbulência, foram eleitos na última eleição. E agora como Deputado Federal por Pernambuco, mesmo sendo Paulista, este tem gastos altos, à custa do dinheiro público em seu cargo em Brasília, como informa o Ranking dos Políticos. Aonde as notas de avaliação vão de 0 a 5 e atualmente, Pr. Eurico amarga um 2,5. Ou seja, está na média, como os demais políticos gastadores do país.O Deputado Pastor Eurico apontado pela Operação Turbulência por recebimento de propinas, gasta o dinheiro público em regalias, como carros, contas de telefone e paga bem o marketing e a mídia para manter a imagem de corrupto longe dos olhos dos eleitores. O Ranking dos políticos totalizou os gastos do deputado em R$ 1.147.876,55, no período.

DIVULGAÇÃO DA ATIVIDADE PARLAMENTAR_R$ 198.513,00

TELEFONIA_R$ 21.051,26

E essas são apenas algumas das regalias.

meirelles-cafe-maia

Enquanto isso, em Pernambuco há municípios que a renda média dos indivíduos não chega a meio salario mínimo, enquanto, na capital Recife o serviço de transportes carece de inúmeras melhorias.

É esse o político que acha que tem moral para acusar falsamente entidades sérias de cartel?

Que moral tem este deputado pra se dizer defender “o emprego dos pernambucanos”, quando ele usurpa um cargo que deveria pertencer a um pernambucano?

Que ‘livre-concorrência’ é essa que defende o Deputado apontado em esquema de propina que só quer favorecer há empresas e políticos envolvidos em uma verdadeira máfia?

O povo brasileiro, especialmente o povo Pernambucano, e os cegonheiros precisam saber quem é quem. Faltam trezentos e vinte e cinco dias para as eleições de 2018, o que será do estado e do país se políticos assim continuarem no poder?