20170510115847_MPES-Ministerio-Publico-do-Espirito-Santo

COOPERATIVA É ALVO DE INVESTIGAÇÃO NO ESPÍRITO SANTO

O Ministério Público investiga no Espírito Santo, duas entidades representantes do ramo de transportes. Aparentemente, o objetivo de uma das entidades investigadas era o de “obrigar” empresas que necessitavam de serviços de transportes de cargas, a escolher como parceiros apenas os ‘indicados’ pelos envolvidos no esquema. Inclusive serviços oferecidos pela própria cooperativa, investigada, a  Transcopes – Cooperativa de Transportes do Espírito Santo.

29d14f_09eaa6dc09e146e5bd51ad18885f59b9-mv2-300x147

A Transcopes possuía integrantes que também ocupavam cargos em um outro Sindicato do Espírito Santo, e são suspeitos de utilizarem informações privilegiadas, além de possíveis ameaças e coação para interferir nas negociações do transporte de cargas, no estado, para favorecer grupos específicos. Pode ainda ter ocorrido o uso indevido da influência que possui o sindicato, sem qualquer autorização dos demais componentes.

Quatro nomes foram citados na denúncia apresentada ao Ministério Público, como possíveis operadores deste esquema: Jonilson Nunes, Paulier Marques Ramos Baeta e Wagner Aucione Lopes. O quarto elemento, que não teve seu nome revelado, por enquanto, conforme provas apresentadas, tentou livrar os três nomes citados anteriormente. E se colocou como principal responsável pelas negociações.

img-20171101-wa0049

Este suposto “responsável” pelo esquema deixa bem evidente que “irá, sim, favorecer” grupos específicos. E repetidas vezes afirma que garantirá as empresas favorecidas o domínio nos serviços de transporte de cargas que venham a ser oferecidos na região. Se comprovadas as denúncias os envolvidos responderão por crimes de interferência a ordem econômica, e crimes previstos no Código Penal, como é o caso do crime de ameaça.

Fonte: Blog do Cegonheiro – Carlos Andrade